Um relógio que se chama leite materno

Você sabia que o leite materno fornece aos bebês informações sobre o horário do dia?

É amplamente sabido que o leite humano é uma substância absolutamente dinâmica. Mas será que essa variabilidade em termos de composição influencia a saúde do bebê somente do ponto de vista nutricional e imunológico?

A resposta é não, mas pra entendermos melhor sobre o que vamos falar hoje, gostaria de introduzir um conceito que talvez muitos de vocês não conheçam, que é a crononutrição. A crononutrição estuda a relação entre o relógio biológico de cada indivíduo e a alimentação, ou seja, ela se baseia no ritmo circadiano do corpo.

O ritmo circadiano corresponde ao período de aproximadamente 24 horas sobre o qual se baseia o ciclo biológico de quase todos os seres vivos, sendo influenciado principalmente pela variação de luz, temperatura, marés e ventos entre o dia e a noite. Nossos bebês não nascem com seu ritmo circadiano bem estabelecido, ou seja, seu senso de dia e noite leva semanas ou até mesmo meses pra se desenvolver, e esse desenvolvimento sofre influência principalmente da exposição à claridade (dia) e escuridão (noite).

Agora olha que bacana: acredita-se que o leite materno humano também contribua para a programação biológica circadiana dos bebês. Mas como? Sendo uma substância dinâmica, a composição do leite materno varia enormemente durante o período de 24 horas. Por exemplo, um estudo de 1993 indicou que a concentração do hormônio melatonina no leite humano, que ajuda tanto na digestão como no sono, é significativamente maior a noite do que durante o dia, atingindo um pico por volta da meia noite. Já o cortisol, um hormônio sabidamente responsável pelo nosso estado de alerta, está em quantidade três vezes maior no leite humano secretado pela manhã (Pundir et al, 2017).  Estudos  indicam também que o leite produzido durante o dia tende a ter mais componentes vivos, como anticorpos (França e col., 2010), bem como alguns minerais como magnésio, zinco, potássio e cálcio.

Tá Isa, mas do ponto de vista prático, o que isso significa?

Isso significa que, várias dessas substâncias que são fornecidas aos bebês por meio do leite materno influenciam em seus processos biológicos e, ao que tudo indica, o leite humano, dependendo do horário do dia, prioriza uma ou outra substância em função dos processos biológicos do bebê. Ou seja (e de maneira bem simplificada): a noite, quando precisamos dormir, o bebê recebe mais substâncias que promovem o sono; durante o dia, quando precisamos de mais energia, ele fornece substâncias que favoreçam deixar o bebê mais alerta. Resumindo: possivelmente o leite humano também funcione como um relógio, que vai favorecer a modulação do ritmo circadiano da criança.

Demais isso, né?

Se gostou da informação, não deixe de compartilhar, ok?

Até a próxima!

Isa Crivellaro

Fonoaudióloga e IBCLC

Obs: se você é profissional, aproveite os últimos dias de desconto para a inscrição no nosso curso “Amamentação: princípios básicos para atuação profissional” clicando AQUI 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *